segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Memorial do Cinema Paulista realiza Festa do Cinema 2016

 Evento irá premiar mais de 20 personalidades da cinematografia paulista

O Memorial do Cinema Paulista irá promover a edição anual da sua Festa do Cinema no próximo sábado (dia 3/12) no Cine Olido (avenida São João, 473, centro) á partir das 15h. A festividade terá shows musicais, exibição de filmes, coquetel e distribuirá premiações para mais de 20 personalidades históricas do cinema paulista entre cineastas, atores, atrizes, produtores, críticos, professores e ensaístas. O evento é gratuito e aberto para o público em geral.

“Nosso objetivo é tornar a entidade mais conhecida. O Memorial existe com o intuito de resgatar e prestigiar a produção cinematográfica da chamada Boca”, destaca o cineasta Diomédio Piskator, presidente do Memorial do Cinema Paulista.

A Festa do Cinema se inicia ás 15h com exibição dos curtas-metragens “Festa na Boca” (1976) de Ozualdo Candeias e “Coffin Joe Born Again” (2014) de Marcelo Colaiacovo. Serão quatro blocos de pessoas homenageadas. Entre os intervalos artistas como Aldyr Carvalho, Aufra Modesto, Téo Azevedo, Roberto Luna e Jacson Santos irão se apresentar. Um dos blocos será entregue o prêmio Eder Mazini de montagem, em homenagem a memória do montador que morreu no último mês de maio. A expectativa é que o evento se encerre ás 19h com a exibição de trechos do média-metragem inédito “Babadadaboca” de Marcelo Colaiacovo.


Sobre o Memorial
O Memorial do Cinema Paulista nasceu em 2011 com o intuito de preservar a memória da produção cinematográfica paulista, em especial a produção realizada no Centro Velho da cidade de São Paulo, em torno da estação ferroviária da Luz. Na localidade, se concentravam depósitos de mercadorias a serem despachadas para o interior do estado e outras regiões do país, através da via férrea e, a partir da década de 1920, instalaram-se empresas distribuidoras e produtoras de filmes, tornando a área conhecida como a Boca do Cinema.

Inicialmente formado por cineastas, pesquisadores, críticos, jornalistas, cineclubistas, cinéfilos e estudantes de cinema, o MEMORIAL visa atender à necessidade de um levantamento sistemático da filmografia ali produzida e da disponibilização de tais dados para o público, recuperando do esquecimento uma parte importante da história do cinema paulista, marcada por filmes que levaram milhões de espectadores aos cinemas, acumularam prêmios

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Papo de Boqueiro com Clery Cunha

O cineasta Clery Cunha (Leopoldo Bulhões, GO, 22/06/1939) celebrizou-se pela direção de filmes policiais populares como “Os Desclassificados” (1972), “O Outro Lado do Crime” (1978), “Joelma, 23º Andar” (1979) e “O Rei da Boca” (1979).

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Papo de Boqueiro com Tony Ciambra

O cineasta e diretor de fotografia Tony Ciambra (Cosenza, Itália, 1948) começou sua carreira trabalhando com o diretor Juan Bajon. Ele também fez a fotografia de filmes como “Os Três Boiadeiros” (1979) de Waldir Kopezky, "Anúncio de Jornal" (1984) de Luiz Gonzaga dos Santos, “Massagem For Men” (1984) de José Adalto Cardoso e “Memórias da Boca” (2015).

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Causos do Gaúcho: os bastidores de "A Virgem e o Machão"

Virgílio Roveda, o Gaúcho (Vacaria, RS, 02/08/1945-) trabalhou em mais de 60 filmes nacionais. Ele lembra das aventuras durante a produção de "A Virgem e o Machão" (1974) de José Mojica Marins.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Causos do Gaúcho: os bastidores de "Meu Nome É Tonho"

Virgílio Roveda, o Gaúcho (Vacaria, RS, 02/08/1945-) trabalhou em mais de 60 filmes nacionais. Ele lembra os bastidores de realização do filme "Meu Nome É Tonho" (1969) de Ozualdo Candeias, um dos maiores clássicos dos faroestes feitos no Brasil.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Memorial exibe último filme de Penna Filho

Celebrando o cinema brasileiro, no dia 10 de setembro, a Biblioteca Latino-americana recebe a exibição gratuita do filme “Das Profundezas” (2013), último longa-metragem do cineasta capixaba Penna Filho.
Entre 1964 e 1987, em Santa Catarina, uma família de trabalhadores das minas de carvão passa pela resistência da ditadura militar e uma histórica greve do movimento operário local. Trata-se de uma história que tem a política como pano de fundo, mas aborda principalmente a política das relações sociais.
A construção do filme se serve de elementos variados da linguagem clássica do cinema, o que permitiu privilegiar os planos de longa duração, além do plano sequência, que gera um sincronismo harmonioso entre os atores.
Em cerca de 50 anos de carreira, Penna Filho desenvolveu mais de 30 produções. Além de atuar na direção, ele também foi redator, repórter, produtor, diretor de arte e locutor.

Serviço
“Das Profundezas”
Data: 10 de setembro (sábado) Horário: 19h30 Local: Auditório da Biblioteca Latino-americana Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda Entrada Gratuita Classificação: 12 anos

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Causos do Gaúcho: o terno de alpaca do Person

Virgílio Roveda, o Gaúcho (Vacaria, RS, 02/08/1945-) trabalhou em mais de 60 filmes nacionais. Ele lembra do final das filmagens de "Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver" de José Mojica Marins.