quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Sou desaculturado IV: homenagem a Alborghetti







Pra mim, Luiz Carlos Alborghetti (1945-2009) foi um mestre do jornalismo brasileiro. Em qualquer país de Primeiro Mundo, ele seria um cara valorizado. No Brasil, existe esses acadêmicos hipócritas (tipo Eugênio Bucci) que fazem perseguição a quem realiza um jornalismo verdadeiramente popular. Amigo leitor: se você tiver tempo busque os vídeos do Alborghetti no You Tube. Sou albornauta eterno.

4 comentários:

Daniel Salomão Roque disse...

Sempre me diverti assistindo aos programas do Alborghetti – não por ver algum valor naquele lixo, mas por ser o supra-sumo do trash na televisão brasileira. Achava patético o discurso desse cara, que além de fascistóide foi um hipócrita: escancarava a tragédia alheia nos mínimos detalhes, dizia que bandido bom era bandido morto e propunha a execução dos usuários de drogas, por “financiarem o tráfico”. E mesmo com toda essa aparente rigidez, nunca se pronunciou a respeito do filho, que cheira cocaína, espanca a esposa, agride a própria prole e se utiliza do nome do papai para se safar das cagadas que faz. Fosse um negro desdentado que vive em barracos, teria sua foto estampada naquele programa tosco, com o apresentador berrando sugestões de tortura ao fundo. Afinal de contas, pimenta no cu dos outros é refresco, né?

Fausto Salvadori disse...

Mateus, acho que o Alborghetti pode ser considerado um Chacrinha do crime, um Howard Stern, algo assim. Não dava para levá-lo a sério como jornalista.

Renata D´Elia disse...

Ai, o Eugênio Bucci tava ironizando os fãs de coisa pop outro dia... numa generalização tão besta que eu cansei e fui ler outra coisa. bjs

Matheus Trunk disse...

Prezada Delia, acho que todo mundo sabe a minha opinião sobre o Eugênio Bucci.