domingo, 23 de agosto de 2009

Vou fazer o filme sobre o Maluf



Não vi e não vou ver o filme do Lula. Só vi o trailer e não gostei. Me pareceu algo oficial, algo de país totalitário. Não vou nem comentar sobre a família que irá assinar esta produção. Daqui a pouco até o cachorro e o passarinho desse clã vão conseguir verba pra fazer filme.

Portanto, eu decidi que vou entrar nessa farra também. Quero uma grana do governo pra fazer a biografia de um político. Mas não vou fazer uma produção cinematográfica sobre alguém de esquerda não. Nunca me dei bem com esse público. Quero fazer de um de direita, mas que seja alinhado com o governo (condição para eu ter a minha verba).

Depois de refletir bastante eu decidi: vou fazer a biografia do Maluf. E você amigo leitor vai fazer filme sobre quem? Sendo alinhado com a turma de Brasília rola uma verba federal das boas. Conselho: sobre o Frank Aguiar já vão fazer.


9 comentários:

Adilson Marcelino disse...

Caro Matheus,
Com todo respeito:
- Não entendi quando você disse que não se sá bem com o público de esquerda. Você é de direita?
Um abraço,
Adilson Marcelino

André Luiz disse...

Eu faria um filme sobre o Figueiredo, o presidente que melhor retrata o espírito brasileiro: boçal com os subalternos e cordeirinho com os superiores.
Antecedeu em muito o Lula em frases lapidares de tão estúpidas.

Anônimo disse...

Você é metido mesmo hein cara, vai fazer filme sobre o capeta?

Carlin
Niterói/RJ

Sergio Andrade disse...

Vou fazer um filme sobre o "Poderoso Painho", o imortal autor de "Marimbondos de Fogo".

Gabriel Carneiro disse...

Opa, gostei da idéia.

nada de esquerda, façamos sobre Adhemar de Barros!

Ailton disse...

Acho que o cenário político brasileiro nunca foi tão "divertido" quanto na época do Collor. Naquele tempo, até os ministros eram singulares, cheios de personalidade e com muitas histórias pra contar. E depois teve o lance com o PC... Pensando bem, um longa não daria conta de tudo que rolou na era Collor.

Anônimo disse...

Bem, já fizeram o filme sobre o Conte Lopes. Creio que seu texto é uma piada, e uma piada totalmente infeliz. Podemos não ter grande fé nos órgãos públicos e mesmo nos partidos políticos. Mas mesmo assim, isto não é motivo para pessoas intelectualizadas simplesmente ridicularizarem seu estado e país dessa maneira. Lamentável.

Luciano Silveira

Didi Iashin disse...

Se me permitem:
Luciano, piada infeliz é fazerem um livro (desperdício de árvores, num tempo tão pró-meio ambiente) e dele extraírem um filme com um monte de incentivo extra-oficial. Piada é sair um filme sobre um governante tão pífio.
De resto, acho que um filme sobre o Maluf seria interessante. Quem faria o Maluf? E a bolsa da D. Maria? E o Celso Pitta?

Anônimo disse...

Prezada, Didi minhas respostas a você, respeitando suas opiniões:
- Eu gosto de livros e acho impotante que obras literáreas se tornem filmes. Eu apoio a indústria cultural.
- "Piada é fazerem um filme sobre um governante pífio". Querida, esta pode ser a sua opinião, porém não é a da maioria da população brasileira.
O Maluf é um produto da Ditadura Militar e só não está preso por ter imunidade parlamentar. Vamos ver até quando.

Luciano Silveira