quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O grande Altemar Dutra


O mineiro Altemar Dutra (1940-1983) foi um dos maiores vendedores de discos da história do Brasil. No início dos anos 60, boleros como Que Queres Tu de Mim, Sentimental Demais e Brigas eram tocados nas rádios a exaustão. Na verdade, este artista é um dos reis do Brasil que nunca foi estudado e de pessoas que sempre foram excluídas do nosso jornalismo cultural. Roberto Carlos é indiscutivelmente o maior vendedor de discos do Brasil com mais de 120 milhões de discos vendidos. O segundo colocado é Nelson Gonçalves, com aproximadamente 75 milhões. Os números oficiais dão Rita Lee como a terceira colocada. Não é desmerecer ninguém, mas falem a verdade: Altemar sempre foi mais popular que ela.

Conhecido como “o trovador das Américas”, ele fez muito sucesso em toda a América Latina e mesmo na comunidade hispânica nos Estados Unidos. A musa e atriz espanhola Maribel Verdú (que estrelou o filme E Sua Mãe Também) é fã do cara. Ela chegou a gravar a canção Que Quieres Tu de Mi, versão em espanhol de Que Queres Tu de Mim de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, gravada originalmente pelo cantor brasileiro.

No livro Eu Não Sou Cachorro Não: Música Popular Cafona e Ditadura Militar, o historiador Paulo César de Araújo comenta o fato do esquecimento da obra do cantor mineiro: “Entretanto, durante sua carreira artística, Altemar Dutra, jamais conseguiu opinião favorável da crítica, e hoje, passados quase 20 anos de sua morte, ainda não obteve na produção historiográfica um reconhecimento à altura do talento que milhões de brasileiros lhe atribuem. E isto acontece porque Altemar Dutra se destacou basicamente como intérprete de bolero, gênero que no Brasil não é identificado nem com a tradição, nem com a modernidade”. 

Digo com orgulho que muitas das edições da Zingu! foram feitas ao som de Altemar Dutra, Roberto Luna, Orlando Dias, Anísio Silva e tantos outros grandes poetas cafonas que a nossa música popular teve. Será que nos centros acadêmicos e os partidos de esquerda falam nestes intérpretes? Eles são lembrados por alguém? 

Amigos e inimigos: em breve a Zingol! (futebol, tubaína e nostalgia), aguardem.

Um comentário:

pseudo-autor disse...

Vou mandar minha tia passar aqui! Ela tinha até fã-clube do Altemar Dutra quando mais nova. Esse livro do Paulo César de Araújo (que também escreveu aquela biografia do Roberto Carlos que está proibida) é ótimo. Eu tenho ele aqui em casa. Fala de toda essa geração que ficou esquecida por causa das grandes gravadoras inescrupulosas que só querem saber de dinheiro.

Cultura na web:
http://culturaexmachina.blogspot.com