sábado, 15 de julho de 2017

Dubladores da Boca: Marthus Mathias




Marthus Mathias (1927-1995) teve uma carreira longa no cinema. Trabalhou no rádio, na série Vigilante Rodoviário e com Mazzaropi antes de ingressar na Boca. Trabalhou em inúmeras produções da rua do Triunfo ficando famoso por fazer o bandido, o pequeno gangster ou em papéis de coadjuvante. Deve ter trabalhado com praticamente todos os diretores do quadrilátero. Como dublador seu papel mais representativo foi Fred Flinstone no seriado "Flinstones". Marthus Mathias era um profissional dedicado. Merecia ser mais lembrado num país sem memória como o Brasil.



MARTHUS MATHIAS- O RETORNO DO VILÃO DO CINEMA




Marthus Mathias, um nome, uma voz. Pelo menos uma vez você já teve contato com Marthus Mathias, seja na rádio, televisão, cinema ou simplesmente animando a voz de um personagem. Talvez um isqueiro falando, no seu ator estrangeiro preferido e até mesmo numa fita nacional. Marthus Mathias, um dos mais versáteis atores brasileiros, já fez de tudo ou quase tudo dentro do seu campo profissional durante os seus 25 anos de carreira.



Começou como radioator na Record, de São Paulo. Sua primeira radionovela foi “A Cabana do Pai Tomás”, sob direção de Oswaldo Moles. Com o advento da televisão, Marthus inseriu-se neste contexto e lá foi ele ser teleator. Naquela época ainda não existia o vídeo-taipe e as transmissões eram ao vivo. Quer dizer que o ator precisava ser ator com A maiúsculo. Cotamos aqui os teledramas: “Corcunda de Notre Dame”, “O Vestido de Noiva” e “A Muralha”, Canal 7-TV Record São Paulo.



Os seus trabalhos mais recentes na televisão são: “Jerônimo, o herói do Sertão”, “Uma Rosa com Amor”, “Vitória Bonélli” e “O Espantalho”.



Seus papéis geralmente são de gangster, o homem mau, o vilão. Retorna ás telas no filme de David Cardoso, “Possuídas pelo Pecado”, onde faz o papel de um chefão de um cassino clandestino. A sua agenda está cheia de convites para novos filmes. Recentemente participou nas filmagens de Maurice Capovilla “Malagueta, Perus e Bacanaço”. Dirigiu as dublagens de “Garimpeiras do Sexo” de J. Vedovato.



Assim é Marthus Mathias, ora emprestando a sua voz par Boris Karloff, ora para Fred Flinstone, ora num comercial de TV e fazendo aquele “vilão” no cinema. O mineiro de Itajubá não pretende parar tão cedo. Grava novelas (está nos Estúdios Sílvio Santos), dubla, vive os vilões no cinema e de vez em quando um filme publicitário, como “Dedão das Sandálias Havaianas”.

Filmografia

Cais do Vício (52)

Absolutamente Certo de Anselmo Duarte

Preço da Vitória, de Oswaldo Sampaio

Jéca Tatú, de Mazzaropi

As Aventuras de Pedro Malazartes, de Mazzaropi

Chofer de Praça, de Mazzaropi

Vendedor de Linguiça, de Mazzaropi

Cidade Ameaçada, de Roberto Farias

As Mulheres Amam Por Conveniência, de Roberto Mauro

Conceição, de Hélio Souto

A Marcha, de Oswaldo Sampaio

Vigilante Rodoviário, de Ary Fernandes

Águias de Fogo (TV), de Ary Fernandes

Jeca e o Bode, de Ary Fernandes

Possuídas Pelo Pecado, de Jean Garrett

Malagueta, Perus e Bacanaço, de Maurice Capovilla

Publicado originalmente no anuário de Cinema da Revista Cinema Em Close-Up de 1977

Nenhum comentário: